InícioPortalRegistrar-seConectar-se

Ver as novas mensagens desde minha última visita
Ver minhas mensagens
Ver as mensagens sem resposta
Compartilhe | .
 

 SBK: Checa no topo após três dias de testes em Phillip Island

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
T@go
CBR 650
avatar

Pendura : ..............Sofia!!

Número de Mensagens : 5395
Idade : 41
Localização : Cascais
Mota/Modelo : Hornet
Data de inscrição : 01/05/2009

MensagemAssunto: SBK: Checa no topo após três dias de testes em Phillip Island Fevereiro 15th 2012, 14:50



Com o início do Mundial de Superbikes agendado para o próximo dia 26 de Fevereiro no circuito australiano de Phillip Island, algumas das equipas que vão disputar o campeonato deslocaram-se precisamente para este circuito, para três dias de testes privados.

O atual campeão mundial de SBK, Carlos Checa, que continua a liderar o esforço “privado” da Ducati nesta categoria através da equipa Althea, entrou em 2012 da melhor forma, ao ser o mais rápido em dois dos três dias de testes.

Checa foi melhorando as afinações da sua Ducati, modelo igual ao utilizado no ano passado, pois a marca italiana ainda não homologou a nova 1199 Panigale para esta temporada, e ao longo dos três dias os tempos foram baixando consideravelmente.

No terceiro dia, Checa registou um tempo não oficial de 1’31.8s, suficiente para se manter à frente de todos os seus adversários, algo que o deixou muito satisfeito, pois a Ducati, devido a ter dominado a temporada passada, está penalizada com um lastro de 6 kg em 2012.

Como segundo piloto mais rápido – e mesmo tendo em conta que estamos a falar de tempos não oficiais -, encontramos um surpreendente Tom Sykes aos comandos de uma Kawasaki Ninja ZX-10R da equipa “semi-fábrica” da Motocard, que este ano deixou o Mundial de Supersport e sobe de categoria para liderar o esforço da marca de Akashi.

Sykes nunca ficou abaixo do segundo melhor tempo nestes testes e, ficando apenas a uma décima de Checa no final, o futuro parece ser bom para a equipa. Será que este ano a Kawasaki estará regularmente na luta pelas vitórias até final, algo que na temporada passada aconteceu a espaços, mesmo contando com a vitória de Sykes no “dilúvio” de Nurburgring?

Quem também aparenta estar em boa forma é o britânico Leon Haslam, que se mantém aos comandos de uma BMW S1000RR de fábrica. Haslam registou o terceiro melhor tempo, deixando atrás de si o italiano Max Biaggi e a segunda Kawasaki de Joan Lascorz.

Jakub Smrz foi o sexto mais rápido, à frente de um azarado Eugene Laverty na segunda Aprilia de fábrica. O irlandês tem estado em destaque desde a primeira vez que rodou aos comandos da RSV4 Factory em Portimão mas, a sua estreia em competição está ameaçada devido a ter sofrido uma queda no final da reta da meta, na rápida curva à direita.

Suspeita-se que Laverty tenha sofrido uma fratura numa das mãos, tem uma concussão confirmada e, o piloto ainda vai decidir, após uma visita ao hospital local, se regressa à sua terra natal para consultar um especialista, ou se permanece na Austrália para tentar recuperar a lesão na mão e participar na primeira ronda do ano.

Entre os pilotos que mais evoluíram ao longo do último dia de testes, Michel Fabrizio, agora aos comandos da uma S1000RR da equipa BMW Italia Goldbet, foi aquele que mais se destacou. Fabrizio foi o oitavo mais rápido em Phillip Island.
A fechar o “Top10” ficaram Maxime Berger e Marco Melandri. Atrás destes, Leon Camier, Davide Giuliano, Sylvain Guintoli, Ayrton Badovini, David Johnson, Lorenzo Zanetti e David Salom – também vítima de uma queda forte-, fecham a lista de participantes nestes testes.

Uma última nota para o regresso de John Hopkins ao Mundial de Superbikes, com a equipa Crescent Fixi, que este ano será a única a inscrever motos da Suzuki (o outro piloto será Leon Camier).

A equipa tem o forte apoio dos especialistas Yoshimura e, após um primeiro contato em que se mostrou muito rápido e satisfeito com a evolução sentida na GSX-R1000, Hopkins sofreu um forte “high-side” na segunda curva do circuito australiano. Infelizmente para a equipa, piloto e fãs, que há muito anseiam ver o piloto em ação outra vez nos palcos mundiais, Hopkins fraturou a mesma mão à qual já tinha sido operado recentemente para lhe retirarem parte de um dedo que “teimava” em causar dores ao piloto.

De acordo com as últimas notícias da equipa, confirmadas pelo próprio John Hopkins após regressar aos Estados Unidos para mais uma cirurgia, o regresso está previsto para a ronda de Imola, estando a sua ausência já confirmada da prova de abertura da nova temporada. Para o seu lugar, de forma temporária, a Crescent Fixi Suzuki chamou o experiente Josh Brookes.


Fonte:Motociclismo
Voltar ao Topo Ir em baixo
T@go
CBR 650
avatar

Pendura : ..............Sofia!!

Número de Mensagens : 5395
Idade : 41
Localização : Cascais
Mota/Modelo : Hornet
Data de inscrição : 01/05/2009

MensagemAssunto: SBK: Checa continua onde ficou… no topo! Fevereiro 21st 2012, 10:04



Menos de uma semana após terminarem os três dias de
testes privados no circuito australiano de Phillip Island, as equipas do
Mundial de Superbikes estão de regresso à ação, no mesmo local, mas
desta feita contam com uma adição de peso: a equipa Honda World
Superbikes, com os pilotos Jonathan Rea e Hiroshi Aoyama, marca presença
depois de ter decidido “saltar” os testes privados.

Quem
continua igual a si próprio, e onde ficou no fim dos testes anteriores,
é o espanhol campeão mundial de SBK Carlos Checa. Com a equipa Atlhea a
afinar a Ducati 1098R para acomodar os 6 kg de lastro extra que a
Infront Motorsports obrigou a acrescentar (devido ao domínio exercido
por Checa em 2011), o espanhol voltou a ser o mais rápido em pista,
embora na sessão da tarde não tenha melhorado o seu tempo.

Checa
registou a melhor volta de hoje com um tempo de 1’31.947s, um pouco
mais lento do que a melhor volta nos testes privados. Atrás de si ficou
Max Biaggi (único piloto da equipa de fábrica da Aprilia devido a Eugene
Laverty estar lesionado) que, na segunda sessão, aproveitando a
temperatura do asfalto estar mais elevada à tarde, conseguiu diminuir a
diferença para Checa. Biaggi está a menos de duas décimas com um tempo
de 1’32.132s.

Mostrando que aprendeu
muito com o que se passou na semana passada, Marco Melandri juntou-se a
Biaggi na perseguição a Checa, ou seja, assistimos neste início de
temporada à repetição do que aconteceu no ano passado na luta pelo
título: dois italianos atrás do espanhol da Ducati.

Agora
aos comandos da BMW S1000RR de fábrica, Melandri foi o terceiro mais
rápido e colocou-se a menos de três décimas de Carlos Checa. Um pouco
mais atrás, Jonathan Rea estreou a nova e resplandecente pintura da sua
Honda CBR1000RR Fireblade da equipa Honda World Superbikes. O britânico
rapidamente entrou no ritmo necessário o registou o quarto tempo na nova
moto japonesa.

Com o quinto tempo na
tabela de tempos está Leon Haslam. O britânico da BMW tem estado bem
nesta pré-temporada de Superbikes mas, uma queda logo na manhã de hoje
pode ter colocado um “travão” às suas intenções de brilhar na ronda de
abertura do campeonato, no próximo fim-de-semana.

Haslam
foi examinado no centro médico do circuito e descobriu que, resultado
da queda, sofreu uma fratura na tíbia. A solução pode passar por inserir
um parafuso na fratura para permitir a Haslam estar em condições de
participar nas duas mangas em Phillip Island.

Tom
Sykes, que na semana passada foi o principal adversário de Checa, desta
feita revela estar um pouco mais atrasado no desenvolvimento da sua
Kawasaki Ninja ZX-10R. Sykes está a meio segundo do espanhol e, atrás de
si tem uma “armada” de motos italianas da Ducati que inclui os pilotos
Sylvain Guintoli, Niccolo Canepa e Jakub Smrz. A fechar o “Top10” está o
catalão Joan Lascorz na segunda Kawasaki de fábrica.

De
notar que nestes testes oficiais do Mundial de Superbikes, alguns
pilotos que são claramente candidatos às vitórias nas corridas e à
vitória final, estão ausentesdevido a lesão: Eugene Laverty e John
Hopkins.

O irlandês da Aprilia ainda
não confirmou o seu regresso à ação, enquanto Hopkins já foi operado à
fratura na mão e, revelou que espera estar de volta a 100% na segunda
ronda do Mundial de SBK, em Imola, que se realizará daqui a seis semanas
aproximadamente. Para o seu lugar, a equipa Crescent Fixi Suzuki
escolheu Josh Brookes que, também não teve sorte e sofreu uma queda,
embora sem consequências de maior.

Uma
última nota para o estreante neste campeonato, o japonês Hiroshi
Aoyama. Aos comandos da segunda Fireblade da equipa Honda World
Superbikes, o antigo piloto de MotoGP continua a adaptar-se à ciclística
e motor de uma moto derivada de série e, também, ao comportamento dos
pneus Pirelli. Aoyama não foi além do 15º tempo, a mais de um segundo e
meio de Checa.


Fonte:Motociclismo
Voltar ao Topo Ir em baixo
T@go
CBR 650
avatar

Pendura : ..............Sofia!!

Número de Mensagens : 5395
Idade : 41
Localização : Cascais
Mota/Modelo : Hornet
Data de inscrição : 01/05/2009

MensagemAssunto: SBK: Tom Sykes acaba com domínio de Checa! Fevereiro 22nd 2012, 13:10



Após já ter demonstrando um bom andamento durante os três dias de testes
privados no circuito australiano de Phillip Island, o principal piloto
da equipa de fábrica da Kawasaki no Mundial de Superbikes, o britânico
Tom Sykes, conseguiu mesmo ser o mais rápido em pista no final dos dois
dias de testes oficiais no mesmo circuito.

Se no primeiro dia o
atual campeão mundial de SBK, Carlos Checa, foi o dominador absoluto,
Sykes demonstrou que esta temporada, a Ninja ZX-10R será uma força a ter
em conta na discussão das “superpole” e das vitórias em cada ronda.

Terminando
com o domínio de Checa, Sykes realizou a melhor volta destes testes
oficiais em 1’31.648s, aproveitando a sessão da manhã e a temperatura da
pista mais fresca para o conseguir. O piloto da Kawasaki bateu Checa
por apenas 0.004 segundos (!!) mas, ficou ainda a algumas décimas de
distância da melhor volta de Checa durante os testes privados há pouco
mais de uma semana.

Surpreendentemente, ou não, pois Jakub Smrz é
conhecido por conseguir excelentes tempos nas sessões de qualificação,
algo que depois não consegue repetir durante as corridas de forma
consistente, o terceiro melhor tempo foi mesmo para o piloto da
Effenbert-Liberty aos comandos de uma Ducati 1098R. Smrz foi seguido de
perto por Jonathan Rea que, com a nova Honda CBR1000RR Fireblade tem
mostrado que a marca japonesa também é uma séria candidata ao título que
já foi seu.

Destaque ainda para a presença em pista de Leon
Haslam. O piloto britânico está ainda em dúvida para competir no próximo
fim de semana mas, colocou a sua BMW S1000RR a fechar o “Top10”.

Após
o final destes dois dias de testes oficiais, o Mundial de Superbikes
está pronto para dar o arranque da temporada de competição no circuito
australiano de Phillip Island já neste próximo fim de semana.


Fonte:Motociclismo
Voltar ao Topo Ir em baixo
T@go
CBR 650
avatar

Pendura : ..............Sofia!!

Número de Mensagens : 5395
Idade : 41
Localização : Cascais
Mota/Modelo : Hornet
Data de inscrição : 01/05/2009

MensagemAssunto: SBK Phillip Island: Meia revolução na Qualificação 1 Fevereiro 25th 2012, 07:45



A temporada 2012 do Mundial de Superbikes já tinha começado há alguns dias atrás, de forma oficial, com a realização de dois dias de testes oficiais, precisamente em Phillip Island. Nessa altura, Carlos Checa e Tom Sykes dividiram a liderança na tabela de tempos mas, durante a primeira sessão de qualificação para as corridas de Domingo, o circuito australiano assistiu a uma “meia revolução”.

Jonathan Rea, que nos testes oficiais andou perto dos mais rápidos mas nunca foi o mais rápido, aproveitou da melhor forma os três minutos finais para saltar do 10º posto, para a pole provisória. Rea e a nova CBR1000RR Fireblade, preparada pela Ten Kate, rodaram em 1’31.959s, sensivelmente o mesmo tempo que Sykes e a Kawasaki registaram dias antes.


Rea foi aliás o único, a conseguir baixar do segundo 32, o que lhe permitiu deixar para trás de si um conjunto de motos da Ducati, em que Checa não foi o mais rápido…

É que à entrada dos últimos cinco minutos da Qualificação 1, o checo Jakub Smrz, numa Ducati 1098R da equipa Effenbert-Liberty, saltou para o comando das operações, o que na altura significava que a marca italiana fazia um “1-2-3” na tabela de tempos.

Smrz ficou-se pelo segundo tempo, com um surpreendente “rookie” Davide Giugliano, da Ducati Althea, a assegurar o terceiro registo e, para o qual, contribuiu a ajuda de Carlos Checa, o seu companheiro de equipa.

Checa que, nesta sessão não teve muita sorte. Quando o espanhol começava a ganhar ritmo para atacar os últimos minutos da sessão, uma queda sem grandes consequências na curva 10 levou o campeão mundial de SBK à relva e a passar pelas boxes para recuperar alguns estragos na sua Ducati (relembramos que este ano os pilotos apenas podem ter uma moto completa na sua garagem).

Com a moto recuperada, Checa saiu para a pista ainda a tempo de garantir o quarto melhor tempo do dia, e atrás ficou aquele que, teoricamente, será um dos seus mais diretos adversários: Max Biaggi.

Com o sexto tempo ficou Niccolo Canepa, enquanto o par da Kawasaki Motocard.com, Tom Sykes e Joan Lascorz, ficaram nas posições seguintes. A completar o “Top10” ficaram Marco Melandri, na sua estreia em competição pela equipa de fábrica da BMW, e ainda Michel Fabrizio na S1000RR da BMW Itália.

Entretanto, o irlandês Eugene Laverty, também um dos principais candidatos às vitórias, sofreu novo contratempo. Laverty entrou em pista mesmo com uma fratura num pulso e, logo no início da sessão, sofreu nova queda que o levou de volta ao centro médico de Phillip Island. Apesar de tudo, o novo recruta da Aprilia deverá estar apto a participar na sessões de amanhã, de acordo com alguns relatórios iniciais.

Outro piloto lesionado, Leon Haslam, optou por resguardar-se para outras sessões de qualificação. O britânico da BMW entrou em pista e realizou três voltas e regressou às boxes. Apesar disso, Haslam deixou entender que as suas intenções passam mesmo por competir amanhã e chegar à sessão final da Superpole.




Fonte:Motociclismo
Voltar ao Topo Ir em baixo
guatemal
CBR 400RR
avatar

Número de Mensagens : 536
Idade : 36
Localização : Oliveira De Azeméis
Mota/Modelo : Honda CBR 1000RR 04
Data de inscrição : 01/10/2008

MensagemAssunto: Re: SBK: Checa no topo após três dias de testes em Phillip Island Fevereiro 25th 2012, 09:59

...Tom Sykes vai arrancar á frente...não houve superpole..morreu um piloto numa sessão.. Crying or Very sad
Voltar ao Topo Ir em baixo
Maddog
CBR 650
avatar

Pendura : Angel

Número de Mensagens : 5868
Idade : 46
Localização : margem sul - Charneca de Caparica
Mota/Modelo : CBR 1000 RR 06; EX: CBR 600 F4I
Data de inscrição : 26/09/2008

MensagemAssunto: Re: SBK: Checa no topo após três dias de testes em Phillip Island Fevereiro 25th 2012, 11:25

guatemal escreveu:
...Tom Sykes vai arrancar á frente...não houve superpole..morreu um piloto numa sessão.. Crying or Very sad

foi mesmo....

ve aqui

http://www.cbrportugal.com/t21138-ss-600-inicio-tragico-para-toda-a-comitiva-do-mundial-de-sbk
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.cbrportugal.com
T@go
CBR 650
avatar

Pendura : ..............Sofia!!

Número de Mensagens : 5395
Idade : 41
Localização : Cascais
Mota/Modelo : Hornet
Data de inscrição : 01/05/2009

MensagemAssunto: SBK Phillip Island: Kawasaki na frente Fevereiro 26th 2012, 21:33



Tom Sykes e a Kawasaki ZX-10R nº66 vão sair amanhã na frente para a primeira ronda do Campeonato do Mundo de Superbike, no circuito australiano de Phillip Island, tendo para isso contado o tempo que o britânico fez na 2ª sessão de qualificação.

De facto, a Superpole de hoje acabou por ser anulada, devido ao acidente fatal sofrido por um jovem piloto australiano de 17 anos, Oscar McIntyre, durante uma das corridas de suporte, válida para o campeonato australiano de Superstock 600.

Assim, e contando os tempos combinados das duas sessões de qualificação, a primeira linha será composta por Tom Sykes (Kawasaki), Max Biaggi (Aprilia), Carlos Checa (Ducati) e Jakub Smrz (Ducati). Na segunda fila estarão Sylvain Guintoli (Ducati), Leon Camier (Suzuki), Niccolò Canepa (Ducati) e Jonathan Rea (Honda), este último, que havia sido o mais rápido na qualificação de sexta-feira, sofreu uma queda, sem consequências físicas, ao contrário de Chaz Davies, que caiu e se lesionou num pulso, não podendo alinhar amanhã.

Em Supersport, três Honda nos três primeiros lugares, com Broc Parkes a confirmar o estatuto de mais rápido, seguido de Sam Lowes e Jules Cluzel. No três lugares seguintes colocaram-se outros tantos pilotos Kawasaki: Kenan Sufuoglu, Fabien Foret e Sheridan Morais. Alex Baldolini (Triumph) e Balasz Nemeth (Honda) completam a segunda fila.





Fonte:Motociclismo
Voltar ao Topo Ir em baixo
T@go
CBR 650
avatar

Pendura : ..............Sofia!!

Número de Mensagens : 5395
Idade : 41
Localização : Cascais
Mota/Modelo : Hornet
Data de inscrição : 01/05/2009

MensagemAssunto: SBK Phillip Island: o regresso de Biaggi Fevereiro 26th 2012, 21:35



Terminou a primeira ronda do Mundial de Superbike em Phillip Island, Austrália, com Max Biaggi a Carlos Checa a dividirem as vitórias em SBK, e o regressado Kenan Sofuoglu a triunfar em Supersport.
Após uma breve liderança inicial do “poleman” Tom Sykes (Kawasaki), a primeira manga parecia ir decidir-se entre Carlos Checa (Ducati Althea) e Max Biaggi (Aprilia), mas uma queda do espanhol na quinta volta, ao entrar na rápida última curva do circuito australiano, deixou Biaggi isolado rumo a uma vitória sem contestação, enquanto, sete segundos atrás, Marco Melandri (BMW) e Sylvan Guintoli (Ducati Effenbert) lutavam pelos restantes lugares do pódio, um duelo ganho pelo italiano, que assim consegue o melhor resultado de sempre para a BMW no Mundial de SBK.
Tom Sykes foi quarto, na frente de Jakub Smrz (Ducati Effenbert) e Michel Fabrizio (BMW Italia). Jonathan Rea (Honda), Hiroshi Aoyama (Honda), Davide Giugliano (Ducati Althea) e Bryan Staring (Kawasaki Pedercini) completaram o top 10.
Na segunda manga, Carlos Checa e a Ducati pareciam recuperados do acidente na corrida anterior, e assim o demonstraram, cedo se instalando na frente para vencer a corrida. Mas o grande protagonista terá mesmo sido novamente Max Biaggi. O romano saiu em frente logo na primeira curva após o arranque, e caiu para a última posição, ficando com cerca de nove segundos de atraso para os homens da frente, e o pelotão inteiro para passar. Com 22 voltas pela frente, Biaggi foi superando adversário após adversário, valendo-se de um bom momento de forma neste início de época, seu e da Aprilia, que se voltou a confirmar como a moto mais veloz da grelha (324 km/h em corrida, contra os 311 km/h da Ducati de Checa).

Biaggi chegou mesmo ao segundo lugar, tendo sido Tom Sykes o piloto que lhe deu mais trabalho, mas já tarde demais para alcançar o líder Carlos Checa, tendo terminado a 5,7 segundos do espanhol. Grande luta nos momentos finais para o último lugar do pódio, com Sykes a garantir o terceiro posto para a Kawasaki na derradeira curva, batendo Jonathan Rea. Leon Haslam, lesionado (fratura na tíbia nos testes da semana passada) conseguiu superiorizar-se, mesmo assim, ao seu companheiro de equipa Marco Melandri na luta pelos quinto e sexto lugares. Seguiram-se Berger, Laverty (também lesionado), Aoyama e Canepa, a fecharem o lote dos dez primeiros.
No campeonato, Biaggi (Aprilia) lidera assim com 45 pontos, seguido de Melandri (BMW) com 30, Sykes (Kawasaki) com 29, Checa (Ducati) com 25 e Rea (Honda) com 22, ou seja, cinco marcas diferentes no top 5 do Mundial.

Na corrida do Mundial de Supersport antecipava-se grande luta entre as “armadas” Honda e Kawasaki, e assim veio a acontecer, em mais uma espetacular corrida desta animada categoria. E que pena de, pela primeira vez nos últimos sete anos, não vermos lá a Parkalgar e Miguel Praia…

Broc Parkes (Honda Ten Kate), que fizera a pole position, atrasou-se na partida, e foram as Honda PTR de Jules Cluzel e Sam Lowes que dominaram na fase inicial, mas tendo coladas as Kawasaki de Fabien Foret (da formação Intermoto) e do regressado Kenan Sofuoglu (a equipa oficial agora gerida pela Lorenzini).

Mas o piloto turco, Campeão Mundial em 2007 e 2010, que voltou à categoria após um ano no Mundial de Moto2, passou os três oponentes na mesma volta, pouco depois de meio da corrida, e conseguiu uma grande vitória para a Kawasaki.

Um dia grande para os “verdes” (depois dos bons resultados de Sykes em SBK), que viu ainda Fabien Foret terminar em terceiro. No último lugar do pódio acabou por ficar Parkes, que recuperou a bateu as Honda PTR do estreante Cluzel (vindo das Moto2) e de Lowes. Sheridan Morais, o sul-africano de ascendência portuguesa, que alinha na outra ZX-6R da Lorenzini, foi o sexto, seguido do compatriota Ronan Quarmby (Honda PTR), e das Triumph de Baldolini e Iannuzzo, com Lukas Pesek a encerrar o top 10.

A próxima ronda do Mundial disputa-se em Imola, a 1 de Abril.
Fonte:Motociclismo
Voltar ao Topo Ir em baixo
T@go
CBR 650
avatar

Pendura : ..............Sofia!!

Número de Mensagens : 5395
Idade : 41
Localização : Cascais
Mota/Modelo : Hornet
Data de inscrição : 01/05/2009

MensagemAssunto: SBK: Ducati e Aprilia já estão em ''guerra''! Fevereiro 28th 2012, 08:26



Apenas com uma ronda realizada esta temporada, o Mundial de Superbikes
tem todos os ingredientes para se tornar numa novela fora de pista. Após
triunfos repartidos entre Max Biaggi (1ª manga) e Carlos Checa (2ª
manga) no circuito de Phillip Island, poderíamos pensar que as forças
estão equilibradas.

Mas, o diretor da equipa Ducati Althea,
Genesio Bevilacqua, pensa exatamente o contrário e dá a entender que a
competição está desequilibrada, principalmente após a prestação
exuberante de Biaggi durante a segunda manga, e voltou a atacar a regra
imposta pela Infront de penalizar com mais 6 kg as bicilíndricas
italianas da Althea.

Para Bevilacqua “foi desapontante ver que
outros pilotos podem começar de último e terminar em segundo, enquanto
nós somos penalizados com 6 kg extra. Será difícil de superar esta
dificuldade durante a temporada, mesmo com um piloto, um campeão, do
calibre do Checa”.

O diretor italiano tem sido totalmente contra a
revisão das regras para 2012, que penalizam a Ducati 1098R de 1.200 cc e
dois cilindros. Apesar de Carlos Checa ter estado muito competitivo ao
longo de todo o fim de semana (e de outros bons resultados para outras
Ducati, como a Sylvain Guintoli e Jakub Smrz), para Bevilacqua a
prestação de Biaggi em Phillip Island é “preocupante”.

Recordamos
que na segunda manga, Biaggi, após a partida, saiu de pista logo na
primeira curva. Passou no final da primeira volta em último a 9 segundos
do primeiro, batalhou por posições ao longo de toda a corrida e, mesmo
com o esforço “pedido” aos pneus Pirelli, Biaggi foi passando por todos
os adversários com relativa facilidade até terminar a corrida em
segundo, a apenas cinco segundos de diferença de Checa!

Para além
da já conhecida capacidade de lutador de Max Biaggi, que já lhe valeu
inúmeros títulos mundiais, o último em SBK em 2010, a Aprilia RSV4
Factory demonstrou em Phillip Island que está num nível muito superior
em termos de velocidade de ponta: nas medições de velocidade do circuito
australiano, Biaggi foi sempre, pelo menos, 15 km/h mais rápido do que
todos os outros.

Estaremos a assistir ao início de uma nova
novela fora das pistas no Mundial de Superbikes, ou terá Genesio
Bevilacqua reais razões para ficar preocupado, tendo em conta que até
foi Carlos Checa que registou a volta mais rápida em corrida?



Fonte:Motociclismo
Voltar ao Topo Ir em baixo
T@go
CBR 650
avatar

Pendura : ..............Sofia!!

Número de Mensagens : 5395
Idade : 41
Localização : Cascais
Mota/Modelo : Hornet
Data de inscrição : 01/05/2009

MensagemAssunto: SBK: Troy Bayliss quer regressar… mas a política não deixa! Fevereiro 28th 2012, 08:28




A julgar pela apresentação da nova 1199 Panigale, A
ronda de abertura do Mundial de Superbikes em Phillip Island poderia
ter servido para os fãs deste campeonato, assistirem ao regresso há
muito vaticinado, do três vezes campeão mundial de SBK, Troy Bayliss.

“Baylisstic”
revelou que efetuou um pedido à Ducati para o deixarem competir como
“wild-card” em Phillip Island e também na próxima ronda, em Imola, mas a
marca italiana decidiu que não daria oportunidade do número “21” de
voltar às pistas num formato de competição.

O
próprio piloto australiano revelou através da sua conta na rede social
Facebook as suas intenções de regresso e, a decisão da Ducati, o que
levou a que a marca italiana não tenha achado muita “piada” à ideia de
Troy Bayliss em divulgar o assunto, tendo o antigo piloto vindo a
público, através do Twitter, reafirmar o seu desejo de regressar… mas
não culpando a Ducati por não concretizar esse desejo

“Olá
pessoal. Quero deixar uma coisa clarificada: a Ducati não me impediu de
participar na ‘Ilha’ e em Imola como wild-card, era possível, mas no
final tratou-se de razões políticas, por isso desisti. 21”.

Certo
é que Troy Bayliss já por diversas vezes revelou o seu desejo de
regressar às pistas, quer seja a tempo inteiro, quer seja em
“part-time”. Tendo em conta os tempos que o antigo piloto consegue
registar cada vez que testa motos de competição, não será difícil de
acreditar que, caso regresse, Bayliss seja uma força a ter em conta.

Por
quanto tempo mais é que a Ducati consegue manter Troy “Baylisstic” fora
das pistas? Acredita que caso o antigo piloto australiano regressasse,
conseguiria bater-se de igual para igual com os melhores em Superbikes?



Fonte:Motociclismo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: SBK: Checa no topo após três dias de testes em Phillip Island

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

SBK: Checa no topo após três dias de testes em Phillip Island

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

 Tópicos similares

-
» SBK Magny Cours: Checa Campeão!
» Bon dia
» Una mochilera consigue dar la vuelta al mundo en 15 días!
» BOEING 727-200 - 1º VÔO DE TESTES
» Citation - Hasegawa 1/48

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
CBRportugal | Comunidade Motard :: COMPETIÇÃO :: MotoGP & Superbikes-